Norman Borlaug

Norman Ernest Borlaug nasceu em 25 de Março de 1914 numa quinta perto de Cresto, Iowa.

Completou o ensino primário e secundário em Cresto e depois de se matricular na Universidade de Minnesota e estudar agronomia, Borlaug recebeu o seu diploma de Bacharel (diploma que era concedido aos estudantes que concluíam com aproveitamento todas as cadeira de uma Universidade) em Ciências em 1937 e trabalhou para o serviço dos EUA no mesmo ano.

Voltando à Universidade de Minnesota para estudar patologia vegetal, ele recebeu o mestrado em 1939 e o doutoramento em 1942.

 

De 1942 a 1944, Borlaug trabalhou como microbiologista na equipa do “Pont de Nemours Foundation ” comandando a investigação de bactericidas industriais e agrícolas, fungicidas e conservantes.

Durante 20 anos trabalhou na descoberta de um trigo de alto rendimento, resistente a doenças que acabou por ser um sucesso.

A fim de alimentar as pessoas com fome do mundo, ele introduziu novas variedades de cereais – e proporcionando assim, com ele diz: “Um sucesso temporário na guerra do homem contra a fome e privação. “.

Estes aumentos na produtividade e produção agrícola de meados do século XX  foram chamados de ” Revolução Verde”. Estima-se que o trabalho de Borlaug tenha salvo da inanição entre 245 milhões e 1 bilião de vidas em todo o mundo. Em reconhecimento à sua contribuição para a paz mundial através do aumento do fornecimento de alimentos, ele foi premiado com o prémio Nobel da Paz em 1970 e em 1986, Borlaug criou o Prémio Mundial da Alimentação, destinado a reconhecer os indivíduos que melhorem a qualidade, a quantidade e a disponibilidade de alimentos em todo o mundo.

Borlaug morreu em 12 de Setembro de 2009 ( com 95 anos) em Dallas.


borlaug

 


Valores que se salientaram na Biografia: 

  • Paz;
  • Inspiração;
  • Dedicação.

Porque escolhi Norman Borlaug?

-Eu escolhi Norman Borlaug porque se não fosse a dedicação dele para com a sua paixão certos alimentos, trigos e cereais não existiriam e por isso ele foi bastante altruísta e inspirador na minha opinião, e eu achei uma enorme inspiração para mim pois se nos dedicarmos a algo que gostamos e persistirmos erguidos perante as dificuldades para além de sermos mais feliz poderemos ajudar outras pessoas.



Bibliografia:



 

Anúncios

Não digas nada! – Fernando Pessoa

Não digas nada!
Nem mesmo a verdade
Há tanta suavidade em nada se dizer
E tudo se entender —
Tudo metade
De sentir e de ver…
Não digas nada
Deixa esquecer

Talvez que amanhã
Em outra paisagem
Digas que foi vã
Toda essa viagem
Até onde quis
Ser quem me agrada…
Mas ali fui feliz
Não digas nada.


Valores presentes neste poema:

  • Felicidade
  • Persistência

Porque escolhi este poema?

– Eu escolhi este poema porque para além de demonstrar que o sujeito poético foi feliz porque fazia o que gostava (felicidade e inspiração para fazer o que gostamos) também me fez recordar do desafio-problema sobre o silêncio.


 

Bibliografia:

http://www.citador.pt/poemas/nao-digas-nada-fernando-pessoa – consultado a 29 de Março de 2016